Código de Cultura da Netflix: descubra como funciona

codigo de cultura da netflix

O sucesso da Netflix é algo inegável. A empresa, que começou como um serviço de locação de DVDs, revolucionou a indústria do entretenimento e a forma de assistir filmes e séries ao criar o streaming como conhecemos hoje. Ao fazer isso, criou um novo mercado, no qual surfou sozinha por vários anos e que ainda hoje lidera, mesmo com fortes concorrentes.

Essa história provavelmente você já conhece. O que talvez não saiba é que para chegar nesse patamar, a empresa também revolucionou a área de recursos humanos, influenciando diversas outras empresas, dos mais diversos mercados, a seguirem o seu exemplo.

Ao lançar o seu Código de Cultura, a Netflix inverteu a ordem do que costuma ser o método de contratação. Coisas como valores da empresa, expectativas e o que esperam do funcionário costumavam ser apenas uma parte de uma apresentação chata, nos primeiros dias na empresa. Ou, uma seção escondida no site institucional, que pouca gente lia.

A Netflix fez diferente, estruturou a sua cultura de forma bem específica e divulgou para quem quisesse. Assim, firmou um compromisso com qualquer possível candidato do que se esperar ao trabalhar lá, elevando a sua cultura a um benefício para o colaborador. O resultado é visível. São mais de 183 milhões de assinaturas em mais de 190 países.

Quer conhecer o documento que revolucionou a área de recursos humanos das empresas e ajudou a Netflix a atingir o seu potencial máximo? Então, confira a cultura organizacional da maior empresa de entretenimento do mundo!

Código de Cultura da Netflix

Se fosse possível resumir o código de cultura da Netflix em duas palavras, elas certamente seriam “liberdade e responsabilidade”. Toda a construção demonstrada a seguir, busca moldar uma cultura interna que vá de encontro a essas duas características.

Para fazer isso, a empresa se baseia em 7 aspectos da sua cultura:

  • Valores
  • Alta performance
  • Liberdade e Responsabilidade
  • Contexto, não controle
  • Alinhamento máximo, poucas reuniões
  • Pagar muito bem
  • Promoções e Desenvolvimento

Confira agora cada um desses aspectos de forma detalhada.

Valores da Netflix: o que é preciso ter para trabalhar lá

Essa seção é algo bem comum de conter nas apresentações de RH das empresas. Praticamente toda empresa define os seus valores apenas com características que soam bem, por exemplo: integridade, respeito, excelência. O estranho é que valores como esse são encontrados inclusive em empresas que se envolvem em fraudes e esquemas de corrupção. O que há de errado, então? Por que, na maioria das vezes, eles não são vividos na prática?

Para a Netflix, isso acontece porque eles não são pensados com base no que os funcionários serão recompensados, promovidos e até demitidos. Normalmente, eles não têm efeito prático, são apenas bonitos. A Netflix considera que os valores reais de uma empresa são os comportamentos e habilidades que ela valoriza nos funcionários.

No contexto dessa gigante do streaming, ela valoriza 9 comportamentos e habilidades:

1. Julgamento

O bom julgamento é algo muito valorizado, ou seja, aquela pessoa que toma boas decisões apesar da ambiguidade de algumas situações. Procura identificar as raízes dos problemas, em vez de tratar só os sintomas. Por fim, sabe pensar estrategicamente, assim como separar o que deve ser feito agora, daquilo que pode ser aprimorado depois.

2. Comunicação

Uma comunicação clara e concisa é o objetivo aqui, conseguir passar a informação, sem perder muito tempo. Isso define uma pessoa que precisa ser uma boa ouvinte, que não reage imediatamente a tudo, mas consegue parar e prestar atenção. Além disso, mantém a calma em situações de estresse.

Outro ponto importante é tratar as pessoas com respeito, independente do seu status ou de qualquer desacordo que possam ter.

3. Impacto

Um bom funcionário é aquele que consegue demonstrar uma alta performance, na qual os seus colegas possam confiar. Alguém voltado para a ação e que está mais preocupado com resultados do que com processos. Não importa o tempo que gasta trabalhando, mas o tempo que investe em fazer trabalho importante.

4. Curiosidade

Essa é uma característica muito importante e se reflete na pessoa que aprende rápido e com entusiasmo, buscando entender a estratégia do negócio, o mercado, o perfil do consumidor e fornecedores. Negócios, tecnologia e entretenimento estão entre os seus temas de estudo e é uma pessoa que contribui de forma efetiva também fora de sua área de atuação.

5. Inovação

A inovação é um valor importante para manter a agilidade do negócio em todos os seus níveis de atuação. A ideia é ser alguém que reduz a complexidade, desafia pressupostos e conceitos para propor soluções mais práticas. Uma pessoa que sempre arranja um tempinho para testar novas ideias que possam ser úteis.

6. Coragem

Mesmo se colocando à disposição da empresa, ela não espera que você abandone quem você é. Há um incentivo para externar ações que contradizem os seus valores e dizer o que pensa, mesmo que pareça controverso. A coragem também inclui a proatividade para arriscar de forma controlada e tomar decisões difíceis, sem agonizar por muito tempo.

7. Paixão

A paixão aqui é o brilho no olho pelo que faz, a sede por excelência que inspira os outros colegas. Ela também significa alguém obstinado, que sabe celebrar vitórias e que se preocupa intensamente com o futuro da companhia.

8. Honestidade

Não tem como a comunicação funcionar se não houver honestidade, por isso esse valor exalta a franqueza, se tiver algo para dizer que diga sem rodeios. No código, há inclusive a orientação de não dizer coisas sobre os colegas que você não fosse dizer na presença deles. Por fim, seja rápido em admitir erros.

9. Altruísmo

O melhor para a empresa deve vir antes do que é o melhor para você e até para a sua equipe. A Netflix valoriza quem arruma tempo para ajudar os colegas, assim como quem compartilha informações e conhecimento abertamente. Abandonar o ego na hora de escolher ideias também é um comportamento incentivado.

Esses são os valores que a Netflix espera dos candidatos a futuras vagas na companhia. Eles são reforçados a todo momento, tanto em avaliações regulares, como no momento da contratação, promoção e demissão.

Alta performance

Imagine que cada pessoa que trabalhe na empresa seja alguém que você respeite como profissional e tenha algo para aprender, esse é o objetivo da Netflix. Para alcançá-lo, ela faz um esforço que vai além de “contratar bem”, ela também demite pessoas de maneira inteligente. Quem não alcança o nível de performance esperado é dispensado e recebe uma generosa indenização, para poder seguir a sua carreira em outro lugar, sem ressentimentos.

Teste mental para gerentes do Netflix

Existe um teste mental que todos os gerentes são incentivados a fazer regularmente que consiste em se perguntar: “quem da minha equipe, se me contasse que está saindo daqui há 2 meses para um trabalho similar em um concorrente, eu lutaria para manter aqui?”.

A pessoa do time que não se enquadrar neste quesito deve receber uma generosa indenização e abrir espaço para que alguém com mais fit com a vaga possa entrar.

Para a Netflix, um bom ambiente de trabalho não é um que tenha lanches de graça, video game, escritórios bacanas ou benefícios. O que faz um bom ambiente para se trabalhar são colegas impressionantes. Por isso, quaisquer benefícios que eles possam oferecer, só se justificam se servirem para atrair mais pessoas impressionantes. Como eles mesmos dizem, são um time, não uma família.

Como a fica a lealdade?

Dessa maneira, pode parecer que há uma lealdade apenas unilateral. Quer dizer, você está lá para a empresa, mas se em algum momento falhar, está fora. Não é essa a ideia. A empresa considera que todos podem passar por fases ruins. Por isso, quem já mostrou o seu valor uma vez, ganha um tempo para se recuperar. Até porque, também é interesse da empresa que os seus funcionários se mantenham com ela, mesmo se ela passar por uma fase ruim.

Porém, a empresa deixa claro que não existe lealdade ilimitada, porque ela acredita que isso leva a ineficiência.

Sobre os idiotas brilhantes

Na Netflix não é tolerado gente ignorante, mesmo que sejam gênios, para a empresa o custo de manter essas pessoas é muito grande para o espírito de equipe. Estilos diferentes de trabalho são celebrados, desde que atendam os 9 valores requisitados.

Liberdade e Responsabilidade

Segundo o código de cultura da Netflix, pessoas responsáveis prosperam com a liberdade. Quem são essas pessoas? Gente que atua como líder, automotivado, autodisciplinado, não espera ordens. Esse é o tipo de gente que a empresa busca atrair. Porém, há um fenômeno comum que acontece com as empresas quando crescem, elas diminuem a liberdade dos colaboradores.

O ciclo é seguinte: o desejo por impacto gera crescimento; o crescimento gera complexidade; a complexidade gera processos para evitar o caos; os processos engessados afastam os talentos da empresa.

A Netflix busca quebrar esse ciclo no momento do crescimento, aumentando a contratação de pessoas de alta performance, sem criar mais regras. Manter e atrair as pessoas certas permite que o negócio continue a rodar de um jeito informal, sem matar a criatividade.

Um exemplo da liberdade que é oferecida aos colaboradores é que não há uma política de férias na empresa. Cada um tira quantos dias de férias quiser, quando quiser. A empresa confia no seu bom julgamento de escolha.

Contexto, não controle

Como já foi falado, a empresa acredita que a liberdade é uma garantia importante a dar aos seus funcionários, por isso acredita em contexto, não em controle.

Controle: decisões de cima para baixo, aprovação da gerência, planejamento e processos que valem mais que resultados.

Contexto: estratégia, métricas, objetivos, papéis bem definidos, transparência.

A diferença fica muito claro, quando comparamos um com o outro. Uma abordagem que valoriza o contexto, dá liberdade para o funcionário escolher a forma que ele acha melhor para alcançar o resultado e reduz tempo inútil.

Além disso, os colaboradores rendem mais e se sentem mais motivados, quando entendem o que estão fazendo e para quê.

Claro que há exceções. Por exemplo, é importante um controle mais próximo quando alguém é novo na área, ou quando há uma emergência. Porém, no geral, a diretriz é confiar de que os colaboradores com mais liberdade conseguirão trabalhar melhor e trazer mais resultados.

Alinhamento máximo, poucas reuniões

O Código de Cultura da Netflix apresenta 3 modelos corporativos para incentivar o trabalho em equipe. Na concepção deles, apenas um funciona de uma maneira que estimule o pensamento criativo e o crescimento.

O primeiro modelo é o de controle total. Todas as táticas passam e são aprovadas pela gerência, muitas reuniões, coordenação por meio da centralização, que só piora conforme a empresa cresce.

O segundo modelo é o que a empresa funciona em silos. Cada grupo realiza seu trabalho com baixa necessidade de coordenação. Em teoria, parece bom, mas só funciona bem quando as áreas são completamente independentes. Em relação a empresas comuns, com áreas como marketing, comercial, TI, jurídico, que dependem uma das outras, isso só gera alienação em relação ao trabalho de cada lado e desconfiança.

A Netflix prefere a estratégia de alinhamento máximo, mas com liberdade entre os grupos. Estratégias e objetivos são claros, específicos e conhecidos por todos. As reuniões entre times tendem a acontecer apenas para alinhar estratégias e objetivos, as decisões táticas são decididas internamente e não precisam de aprovação de cima. Isso permite os grupos se moverem mais rápido.

Pagar muito bem

Pagar o topo do que o colaborador vale no mercado é uma prática fundamental para a busca de alta performance da Netflix. Para eles, um funcionário incrível faz mais do que dois mais ou menos e ainda custa menos. Por isso, a ideia é atrair essas pessoas de alto valor e pagar muito bem para mantê-la.

O objetivo é pagar o valor máximo de mercado para cada funcionário. Pagar mais do que qualquer um pagaria, mais do que custaria substituir essa pessoa e o mesmo que a empresa pagaria para tentar manter o funcionário, caso ele receba uma oferta melhor em outra empresa. Ou seja, a ideia é estar no valor máximo já possível para essa pessoa sempre.

Esse valor não depende do sucesso da empresa. Se a Netflix vai bem ou mal, a regra continua sendo pagar o valor máximo. A prerrogativa vai tão longe que os funcionários são incentivados a procurar saber quanto receberiam em outras empresas e conversar com seus gerentes em busca de reparação, se for necessário.

Promoções e Desenvolvimento

O Código de cultura deixa claro que a Netflix não precisa ser a sua casa para a vida toda. Às vezes, não existem oportunidades para todo mundo crescer como deve ser. Mas, se houver essa oportunidade, então deve atender a duas condições: o trabalho deve ser grande o suficiente, para pedir uma promoção e a pessoa já tem que ser excelente no seu cargo atual.

Desenvolvimento

Não há um método formalizado de desenvolvimento profissional dentro da empresa, como curso, mentores, ou rotação de cargos. A Netflix acredita que a melhor maneira de desenvolver seus funcionários é dar a chance deles mesmo fazerem isso, por meio de grandes desafios e o suporte de colegas extraordinários. Cada um deve gerenciar a sua própria carreira e não esperar que a companhia faça isso.

Pronto. Agora você já conhece a fundo como a Netflix se organizou internamente para se tornar a gigante do entretenimento que é hoje. Todos esses dados podem servir de inspiração para criar ou aprimorar a cultura organizacional na sua empresa. Use o que fizer sentido para você. Afinal, cada empresa possui um contexto diferente.

Se quiser mais uma ajuda, pode conferir também o Código de Cultura da melhor empresa para se trabalhar no mundo!

Gostou deste artigo? Não esqueça de compartilhar.
Flowup Site
error

Gostou do Blog? Compartilhe! :)

Acelere o crescimento da sua empresa.Fale agora com um especialista!
+