Scrum e Burndown : como avaliar o desempenho da equipe

burndown e scrum

A aplicação de metodologias ágeis de projetos permite otimizar o tempo da equipe e gerar valor para o cliente em menos tempo, especialmente quando você utiliza Scrum e Burndown  juntos.

Com o emprego adequado dessas ferramentas, é possível descobrir como a equipe tem se desenvolvido e quais são os pontos que devem ser melhorados. Com máxima visibilidade, o processo de tomada de decisão é favorecido.

Quer saber mais a respeito da combinação entre Scrum e Burndown e de como ela pode ser benéfica para seu negócio? Siga com a leitura!

O que é o Scrum e para que ele serve?

O Scrum é uma metodologia ágil de avaliação usada para dar visibilidade sobre um processo ou projeto enquanto ele acontece. Por causa de seu funcionamento, há entregas incrementais, de modo que a oferta de feedback alimenta os procedimentos e permite o alcance dos resultados esperados.

Esse framework se baseia na divisão da tarefa ou projeto a ser concluído. Cada parte é conhecida como sprint e dura entre uma semana e um mês, em média.

Cada sprint realiza um conjunto de atividades, as quais são definidas em reuniões. Ou seja, a equipe determina o que será entregue ao final de um sprint. Quando a última sprint acontece, espera-se que o resultado tenha todas as funcionalidades especificadas pelo dono do processo.

Outra característica do Scrum é que, com ele, devem ser realizadas reuniões diárias de acompanhamento. Rápidas, elas servem para identificar o que foi feito no dia anterior, as possíveis dificuldades e o que deve ser executado no dia.

E o Burndown?

Já o Burndown é um método de avaliação gráfica em relação à produtividade de uma equipe. Por meio de um gráfico simples, é possível descobrir quanto trabalho ainda falta ser feito e qual é o posicionamento em relação ao período restante para a conclusão.

Ele é muito importante porque permite que a gestão reconheça “bolsões” que indicam a baixa produtividade, já que o tempo passa, mas não há progresso. Também é uma forma de identificar a tendência de retrabalho e a necessidade de agir para cumprir os prazos.

Como funciona o Burndown Chart?

burndown

O eixo X (horizontal) do gráfico representa a quantidade de tempo disponível para que a Sprint seja concluída. O eixo Y (vertical), por sua vez, representa as atividades a serem realizadas, que podem ser dimensionadas em forma de pontos, para que se calcule a velocidade de performance da equipe.

Inicialmente, é traçada uma linha, que representa o desenvolvimento ideal, que servirá de parâmetro para o acompanhamento da equipe. Ela conecta o primeiro dia de trabalho à pontuação 100.

Conforme as atividades são desenvolvidas, o gráfico de acompanhamento vai sendo desenhado, sempre de forma decrescente. Assim, quando concluída uma tarefa, são deduzidos os pontos correspondentes a ela, fazendo com que a linha rume ao eixo X.

O esperado é que a linha traçada se mantenha fiel ao planejado. Além disso, é desejável que o traçado atinja o eixo X dentro do prazo estipulado. Nesse caso, significa que o projeto não sofreu atrasos em seu planejamento.

Como integrar Scrum e Burndown?

No Scrum, temos períodos de tempo chamados sprints, dentro dos quais desenvolvemos um pacote de atividades. Como visto, cada sprint deve ter, no máximo, 4 semanas de duração, a fim de manter a agilidade e o foco no desenvolvimento da solução.

Uma peça fundamental para que a sprint seja concluída dentro do prazo estipulado é o controle do tempo, que pode ser feito por meio do Burndown Chart, que se trata de uma representação gráfica das atividades a serem realizadas no período disponível, conforme explicamos acima.

Com a união das duas ferramentas, é possível acompanhar o desenvolvimento de cada sprint e como elas se posicionam em relação a todo o projeto.

Quais as vantagens de realizar a unificação?

Juntar Burndown e Scrum é muito benéfico para a avaliação do desempenho das equipes. Graças a essa análise, é possível ter máxima visibilidade sobre a performance dos colaboradores e entender quais são as tarefas menos simples ou rápidas, por exemplo.

Graças ao acompanhamento, também há um aumento no dinamismo. A gestão consegue visualizar conforme as iterações ou entregas acontecem. Desse jeito, é mais fácil executar modificações para evitar que ocorram desvios no tempo previsto do processo.

Essa, inclusive, é uma forma de gerar uma base de dados confiáveis. Com a consistência de avaliação do período das tarefas, é possível compilar as informações e aumentar a inteligência de mercado. Nos próximos dimensionamentos de tempo e de escopo, as experiências são levadas em consideração, e isso cria um gerenciamento cada vez mais efetivo.

Quando realizar essa união de técnicas?

Apesar de ser uma metodologia ágil de grande desempenho, o Scrum nem sempre oferece a transparência necessária para que a gestão seja integrada e funcional. Com isso, o Burndown surge como uma alternativa complementar.

A união entre Scrum e Burndown é válida, por exemplo, quando se deseja aumentar a transparência de informações e acompanhamentos. Com a ferramenta extra de apoio, é possível visualizar como andam as entregas e o que era esperado.

A adoção também deve ser feita quando o prazo de conclusão é um dos aspectos cruciais para o sucesso do projeto. Em momentos em que atrasos são completamente inaceitáveis, o melhor é controlar desde o começo.

Além de tudo, a união é interessante quando se deseja conhecer o rendimento de equipes e compará-los dentro de uma base comum. Assim, é mais simples dar um feedback justo e direcionado.

 

Por que fazer essa avaliação?

Ao unir Burndown e Scrum, você cria uma maneira fácil e efetiva de acompanhar o desempenho da equipe dia a dia, eliminando o risco de que atrasos constantes impactem na concretização do projeto.

A linha de performance é organizada de forma descendente, até que a sprint tenha terminado. Quando uma tarefa não pode ser acabada dentro do previsto, desenha-se uma linha horizontal, que identifica um entrave a ser superado.

Obviamente, pode-se ganhar tempo otimizando as tarefas subsequentes, mas nem sempre. E aí devem entrar ações estratégicas, a fim de garantir que o cronograma do projeto seja cumprido, como a contratação de mais profissionais ou, então, a modificação do product backlog, por exemplo.

Após duas ou três sprints executadas e controladas por meio do Burndown Chart, o time Scrum já é capaz de compreender melhor a velocidade de trabalho e dimensionar as próximas sprints de forma que elas se tornem mais ágeis e eficazes, entregando, dentro do esperado, tudo o que foi definido.

O acompanhamento da sprint por meio do Burndown Chart também permite que a equipe fique focada no que realmente importa no momento, superando as barreiras que se apresentam para cumprir o cronograma.

Em suma, mais do que uma ferramenta de controle de tempo, aliar Burndown a Scrum é um excelente mecanismo de aprendizado para o time de desenvolvimento, pois a equipe se torna capaz de analisar sua própria performance e aplicar mudanças que tragam maior agilidade ao trabalho diário.

Gostou de saber mais sobre Burndown e Scrum? Assine nossa newsletter e fique atento às novidades!

 

kanban para uma gestão eficiente
Gostou deste artigo? Não esqueça de compartilhar.

Comments

comments

Flowup Site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou do Blog? Compartilhe! :)

Quer aumentar a performance da sua empresa? Descubra aqui!
+