Como a teoria do jogo infinito impacta o sucesso do seu negócio?

O xadrez é considerado por muitos um dos jogos mais difíceis de todos. Sua complexidade e raciocínio estratégico demandam habilidade, paciência, cautela, prática e, é claro, talento. Não à toa as jogadas são cronometradas, pois as possibilidades de jogos e combinações são infinitas e podem levar horas para chegar ao fim.

Perceba que eu disse difícil, não impossível, afinal, você conhece todas as regras, conhece seu adversário, tem um período de tempo determinado e, ao final, alguém sai vitorioso, certo? Nesse caso, o chamaríamos de jogo finito.

Mas e se houvesse um jogo muito, mais muito mais difícil que esse? O qual você não sabe quem são seus adversários, não existe nenhuma regra definida, nem prazo estipulado e, no final, ninguém ganha, já que é um jogo impossível de ganhar. Você jogaria? 

Desafiador, não é mesmo? Esse é o jogo infinito, um conceito que pode ser utilizado à política, aos negócios e, por que não, à vida? 

O seu único objetivo é se manter vivo nesse jogo, mantendo os recursos necessários para tal e, principalmente, o desejo de permanecer jogando.

Agora, você vai entender de uma vez por todas o que é, para que serve e como a teoria do jogo infinito é capaz de impactar fortemente todo o caminho de sucesso que a sua empresa tem trilhado até aqui. Que comecem os jogos, boa leitura! 

Simon Sinek

Acredito que o maior sonho de todo empreendedor é ganhar muito dinheiro a partir de suas ideias, e isso, Simon Sinek faz como ninguém!

O renomado escritor, palestrante, líder e empreendedor estadunidense começou a ganhar fama após seu livro “Comece pelo porquê”, uma obra que questiona: “Por que algumas pessoas e organizações são mais inovadoras, admiradas e lucrativas do que outras?” e trouxe ao mundo o conceito do Círculo Dourado, além, é claro, do jogo infinito.

 

Círculo Dourado

A virada de chave na vida e carreira de Sinek foi essa palestra no Ted Talk em 2009, uma das mais vistas da plataforma, chamada de “Como os grandes líderes inspiram ação”. Abaixo você confere, de maneira resumida, o conceito central do Círculo Dourado.

Mas, de forma mais resumida ainda, Sinek foca em um dos pontos mais importantes de qualquer negócio: propósito.

O círculo dourado se divide em 3 camadas: a 1ª, mais ampla, é o “o quê?”, ou seja, o que sua empresa faz, quais serviços ou produtos oferece. Fácil de responder, né?

Já a 2ª afunila um pouco mais: “como?”. Qual é o seu diferencial, sua proposta de valor, a definição de processos, o planejamento estratégico, etc. Um pouco mais difícil, hein! Conseguiu responder?

Já a 3ª e menor camada é o seu círculo dourado: “por quê?”. Simon afirma que essa é a pergunta mais difícil de ser respondida e que muitos empresários passam a vida inteira sem descobrir, e isso é muito perigoso.

Afinal, se você, como líder, não sabe qual o propósito da sua empresa existir, como é que vai inspirar o seu time a vestir a camisa e abraçar uma causa que nem você mesmo entende ou acredita?

“Ah, mas o meu propósito é vender e ganhar dinheiro”. Aí é que tá, não é! Isso é resultado, consequência. Propósito tem a ver com visão de vida, ideais, crenças. Aliado a um bom produto ou serviço, é com isso que as pessoas vão se identificar e por isso vão escolher comprar de você, e não do seu concorrente.

Em seu discurso, Sinek repete que “as pessoas não compram o que você faz, elas compram o porquê você faz”. Comunique de dentro para fora. Não venda um produto, venda uma ideia. Assim, você estará apto a começar a jogar o jogo infinito.

 

Jogo finito

O jogo finito é muito fácil de jogar e possui, geralmente, um único objetivo em comum: vencer. São jogos clássicos, como futebol, basquete, vôlei, em que as regras são pré-determinadas, os adversários são conhecidos e existe um prazo pra terminar.

No entanto, como é que se vence no mundo corporativo? Se uma empresa deixa de existir, o jogo acaba ou continua? 

Powered by Rock Convert

Empreendedores com mentalidade finita tendem a perder, sempre. Seja porque o dinheiro acabou, seja porque não tem mais aquela paixão por jogar e abandona o console.

Geralmente, estão sempre competindo com si mesmos ou com alguém que às vezes nem sabe que essa competição existe. Pensam a curto prazo e são determinados em gerar relatórios que pareçam satisfatórios ao final do trimestre, mas que, mais além, no percurso do jogo infinito, acabam não fazendo diferença alguma.

Por quê? Porque faltou preparo, liderança, planejamento. Faltou a consolidação do propósito, o estudo de mercado, a pesquisa de tendências. Porque o destino foi mais importante do que a viagem e ele esqueceu de aproveitar a vista.

Leia também: Guia completo da gestão de pessoas nas organizações

De acordo com Sinek, essas são algumas consequências para líderes que insistem em jogar o jogo finito:

  • demissões em massa anuais;
  • cria-se uma cultura de recompensa para líderes egoístas, que buscam muito mais por suas vitórias pessoais do que o desenvolvimento de sua equipe em si;
  • ambientes tóxicos de trabalho com diversas ameaças de corte o tempo inteiro;
  • deixar as necessidades dos funcionários e clientes em segundo plano para cuidar de interesses dos acionistas;
  • há uma valorização e até mesmo premiação para membros da equipe tóxicos da equipe que apresentam alto desempenho, desconsiderando os danos que essas pessoas causam ao seu próprio time;

 

Jogo infinito 

Agora, trazendo à nossa realidade corporativa, imagine um jogo chamado “o jogo dos negócios”. Quem é o vencedor? Se a sua empresa fechar, o jogo acaba ou continua? Quem são seus concorrentes hoje? E por concorrentes, esqueça as outras empresas de mesmo segmento.

Como assim? Por exemplo: se você tem uma plataforma de cursos on-line, seus concorrentes não são só as outras plataformas, e sim o TikTok, Instagram, a correria do dia a dia, a Netflix, a falta de dinheiro, enfim, tudo o que tire a atenção do seu cliente e o faça perder o interesse/encanto/oportunidade pelo seu serviço. 

Percebe que são fatores impossíveis de serem controlados? O jogo está sempre mudando, sempre em constante movimento, ao qual novas regras são instauradas ou derrubadas dia após dia. 

Empreendedores com o mindset infinito já entenderam que o jogo nunca termina, afinal, se um Banco fechar o mundo não para por isso, certo? Surge um novo Banco no lugar.

A não ser que você seja um atleta, tanto nos negócios, quanto na vida, competir com alguém requer demasiada energia, física e mental, e geralmente você vai acabar se frustrando — vai sempre existir alguém “melhor”, assim como existem empresas que a um determinado público ou determinado aspecto, pode ser melhor que a sua. Mas tudo bem, porque vocês não estão competindo!

 

Cuidado para não ser extinto 

Em seu artigo intitulado como “A grande extinção”, Mauricio Longo, empresário e escritor, ressalta a importância e a urgência de adaptação, principalmente das empresas mais antigas, que ainda não entenderam em que jogo estão e tendem a serem ultrapassadas pela nova geração de profissionais que chega ao mercado.

Isso significa que só as novas empresas irão sobreviver? De jeito nenhum! Pelo contrário, de nada adianta começar um novo negócio com a mentalidade de 20 anos atrás. Sendo assim, somente o mais apto a se adaptar a mudanças sobrevive!

Observe a Magazine Luiza, por exemplo: fundada há 64 anos, a empresa nunca esteve tão jovem, fortalecida e convicta de seus propósitos e ideais. Sob o comando de Luiza Trajano, se torna a maior varejista de bens duráveis em 2020, mesmo que diante do cenário de Covid-19 que abalou nossa economia. 

Em 2017 você pagava R$ 0,41 em uma ação da empresa. Hoje ela custa cerca de R$ 25, de acordo com a Bovespa. Por quê? De maneira resumida, altos investimentos em tecnologia, inovação, atendimento ao cliente, propósito esclarecido e compartilhado com o time, posicionamento no mercado e a compreensão do jogo infinito. 

Com esse entendimento, a Magazine Luiza pode até não ter os melhores preços do mercado comparado aos seus concorrentes. Porém, a Magalu tem a confiança, o carinho, o contato, o respeito e faz com que seus clientes sejam divulgadores espontâneos e gratuitos da marca.

Você acha que isso aconteceu do dia pra noite? Que todo esse reconhecimento foi sorte? Ou entende que isso só acontece graças a um planejamento estratégico eficiente, com valores bem definidos e que vão extremamente além do que fechar o mês positivo? Comece a instaurar esse propósito em sua equipe e colha os bons frutos disso!

 

Defina qual jogo seu negócio irá jogar 

Você já entendeu os benefícios do jogo infinito. Agora, sabe que a sua luta e caminhada são consigo mesmo, não com o outro. E com a sua empresa também funciona assim: usar o concorrente de parâmetro e como referência é totalmente aceitável. Você só não pode comprometer o propósito de sua empresa tentando vencer um jogo que ninguém vence. 

Gostou do conteúdo? Compartilhe para um amigo que precisa ler isso também!

 

Powered by Rock Convert
Gostou deste artigo? Não esqueça de compartilhar.
Flowup Site
error

Gostou do Blog? Compartilhe! :)

Acelere o crescimento da sua empresa.Fale agora com um especialista!
+