Gestão de equipes: como um software pode auxiliar nesse momento?

gestão de equipes

Imagine uma empresa em que as pessoas trabalham não mais de forma isolada, mas em conjunto: cada um sendo responsável por aquela função que domina mais, ao invés de concentrar o trabalho nas mãos de uma só pessoa. Isso traz mais organização para a empresa e ajuda a chegar nos melhores resultados possíveis. Porém, para isso é preciso saber aplicar as melhores técnicas de gestão de equipes.

Uma forma de fazer isso é por meio dos softwares de gestão de equipes, que é uma ferramenta útil para ajudar você a trazer mais eficiência para os resultados do negócio. Afinal, cada tarefa do colaborador exige coleta, organização e processamento das informações. Então, nada melhor do que contar com a ajuda da automatização, que é o caso dos softwares de gestão de equipes, para otimizar todo esse trabalho, certo?

Sentiu curiosidade? Continue a leitura e descubra!

Gestão de horas dos colaboradores

Primeiramente, é importante que você saiba que o controle de tempo dos colaboradores é um passo fundamental para a gestão de equipes. Afinal, tempo também é dinheiro e por isso é preciso monitorar o tempo investido em cada tarefa. Após o registro das horas gastas, é possível chegar a algumas conclusões como: gargalos da operação, qual setor produz mais, como otimizar o processo, se alguma equipe está com excesso de trabalho etc.

A partir disso, já se pode pensar nas melhores formas para um bom funcionamento. Abaixo há algumas dicas úteis para ajudar você nesse processo.

Dicas para um bom gerenciamento

Saber motivar

Conforme já foi mencionado, o trabalho em equipe é fundamental para o sucesso de uma tarefa. Porém, para que tudo ocorra bem é preciso que os profissionais estejam motivados para tal e conscientes de suas funções. Então, o gestor deve saber motivar e treinar seus funcionários. Caso contrário, grandes projetos podem ir por água abaixo e a produtividade da empresa pode despencar.

Para conseguir motivar as equipes existem algumas dicas. Por exemplo, o responsável pela gestão deve ter um perfil comportamental das habilidades de cada funcionário. Isso ajudaria na identificação do que seria um gatilho para cada um deles, já que alguns colaboradores podem funcionar de medos menos sociável e mais operacional, por exemplo. Nesse caso, é fundamental que ele tenha condições estruturais para realizar seu trabalho e desenvolver suas habilidades.

Ou seja, deve haver um bom gestor, que conheça toda a sua rede de colaboradores e que a partir disso, sabia delegar as responsabilidades de cada um, de acordo com as suas habilidades, atuações, experiências. Dessa forma, o trabalho é feito com mais motivação.

Além disso, é normal que haja épocas que a necessidade de motivação seja mais urgente ou fundamental, por exemplo, quando os prazos de determinadas metas vão chegando ao fim. Então, é preciso criar mecanismos para que nesses períodos específicos que há uma maior tensão na empresa, o clima possa ficar mais leve. Uma sugestão é criar tardes culturais no escritório ou promover um dia de brainstorming em uma área aberta da cidade, por exemplo.

Encontrar as pessoas corretas para o cargo

Porém, claro que todo esse trabalho de motivação será inútil se as pessoas responsáveis pelo cargo não forem as certas. Por isso, é preciso saber como identificar a pessoa certa para vaga. Afinal, também seria inútil contratar alguém que tenha um currículo muito bom, mas que foi alocada na função errada.

Então, é importante que aspectos técnicos, como formação e experiência, sejam levados em conta na contração, claro. Mas além disso, é preciso avaliar características comportamentais do futuro funcionário: elas podem ser determinantes para o sucesso ou fracasso do contratado em determinada posição.

Erros cometidos nesse aspecto podem ter fortes consequências, como a perda de dinheiro e tempo para a empresa, gerar uma equipe insegura e um líder insatisfeito. Além do mais, um grande talento que poderia ser muito bem aproveitado se estivesse no setor e na vaga certa, pode ser perdido pelo de não fazer uma boa avaliação do contratado. Portanto, é fundamental ter cautela no processo de seleção e avaliar todas as variáveis envolvidas antes da decisão final.

Escolher um bom líder

Como você já viu, um bom líder deve ser capaz de motivar a equipe para que, a partir disso, uma empresa tenha melhores resultados nas tarefas. Então, para isso é fundamental pensar bem na escolha dessa liderança. Quando ela é de qualidade, haverá mais respeito da equipe, devido as decisões tomadas pelo líder e com a participação de todo grupo.

Por isso, é fundamental que um bom líder tenha autoconhecimento o suficiente para reconhecer seus pontos fortes e fracos, além de ser democrático e não agir com arrogância diante da sua posição superior.

Para identificar se alguém tem essas características e, portanto, se seria um bom líder, há alguns sinais. Repare se o candidato usa mais o termo ‘’eu’’ do que o ‘’nós’’ ao falar sobre suas experiências profissionais. Afinal, como foi mencionado, a humildade é uma característica fundamental das boas lideranças e é preciso saber se o candidato atribui seus êxitos a equipe, por exemplo.

Além disso, também é fundamental escolher um líder que se encaixe com as necessidades da equipe naquele momento. O grupo pode ter passado por uma relação desgastada com a liderança anterior e precisa de alguém responsável por fortalecer a confiança da equipe ou reforçar os valores do time etc.

Fornecer feedbacks

Pense comigo, como um funcionário ou equipe como um todo pode melhorar se ela não entender como e onde pode ocorrer essa melhorar? Os feedbacks coletiva e individualmente são fundamentais para evolução da empresa. É a partir dele que se pode encontrar falhas e desenvolver soluções inteligentes, ao realizar os ajustes necessários, e buscar uma melhoria contínua do desempenho dos grupos.

Então, os feedbacks funcionam como ótimos mecanismos para o desenvolvimento profissional e pessoal dos colaboradores, que entendem suas falhas e conseguem correr atrás de melhorias para elas. Porém, não pense que feedback só ocorre de modo negativo. Você também pode utilizar esse método de gestão para mostrar como os membros ou a equipe em si está progredindo e como podem crescer mais a partir de determinadas sugestões feitas por você.

Mas para isso é necessário que as expectativas depositadas em torno dos colaboradores em relação as metas da empresa sejam realistas. Isso pode significar ficar atento ao orçamento alocado e\ou a carga de trabalho daqueles que você contará com a ajuda.

Engajar os líderes

Claro que além de boas lideranças para realizar uma boa gestão de equipes, também é necessário que os líderes da empresa se engajem com as atividades. Para isso, é preciso estruturar um planejamento coerente, que haja os objetivos da diretoria, ao mesmo tempo que deixa claro o papel de cada gestor para desenvolver as tarefas e alcançar as metas. Esses objetivos devem ser criados visando a realidade da empresa, do mercado e histórico dos últimos períodos.

Para isso, é preciso que haja transparência na gestão e assim, os líderes consigam se engajar com mais facilidade. Afinal, não basta apenas dizer o que deve ser feito nas atividades, mas como se espera que seja feito para que as metas sejam alcançadas também. Ao conhecer as expectativas finais, os líderes podem trabalhar de forma mais inovadora para surpreender.

Líderes engajados conseguem promover grandes transformações na equipe, o que pode trazer mais inovação e resultados positivos para a empresa. Porém, um líder sem engajamento pode desagregar completamente um time e todas as metas traçadas para a empresa podem ir por água abaixo.

Treinar a equipe

O treinamento é uma etapa fundamental para melhorias na equipe. Por isso, é muito importante que os responsáveis pelos treinos em cada evento ou curso seja o profissional certo para a tarefa. Então, é preciso antes de tudo identificar quais são as áreas que exigem uma necessidade maior de treino.

Ao fazer isso, o RH consegue selecionar as melhores opções de curso para a demanda recorrente. A mesma lógica serve para determinar a duração de cada curso: algumas demandas pedem curta duração outras um conteúdo mais aprofundado.

Então, ao considerar a importância e os gastos investidos para o treinamento, quem é treinado deve saber que é necessário oferecer um retorno ao grupo de trabalho e a empresa. Afinal, essa é uma troca natural em que todos os envolvidos devem sair no lucro.

Mesmo que o sucesso de empresa esteja relacionado ao trabalho conjunto dos funcionários, fazer uma gestão de equipes não é tarefa simples e exige muita sabedoria e visão por parte do responsável. Felizmente, para ajudar você existe o software de gestão da equipe da Flowup. Nele é possível acompanhar o desempenho de cada funcionário de modo automatizado, por exemplo.

Então, acesse o nosso site da Flowup e confira na prática as funcionalidades dos nossos softwares e o quanto isso impacta na sua empresa. Basta entrar em contato conosco!

Gostou deste artigo? Não esqueça de compartilhar.
Flowup Site
error

Gostou do Blog? Compartilhe! :)

Acelere o crescimento da sua empresa.Fale agora com um especialista!
+